20.8.05

O dormir da deusa

São dez da noite e aquela beleza para a qual me prostro num misto de contrição, devoção e paixão, já repousa. Descansa. Olho para ela e fico imaginando esse milagre dos olhos verdes que continuam lindos mesmo quando olham para dentro.

Ela me aguarda no travesseiro que dividimos.

4 comentários:

parla marieta disse...

Feliz a mulher que o inspira.
Feliz você.

Celso disse...

É difícil falar e amor com tanta fluidez, sem soar excessivamente piegas. Demonstra qualidade literária. Aliás, fato consumado neste blog.

Saudações do Cárcere

Abner Targino Francini disse...

sim... o amor!

mana disse...

estou voltando. te amo