29.7.05

Um crocodilo laranja correndo de mim

Por mim, comeria algodão-doce ou fugiria pro Nepal. Mas não os encontrei na lista telefônica nem no Google. Então decidi tirar férias numa praia qualquer.

- Bom dia!

- Bom, dia?

- Bom, dia!

- Bom? Dia!

- Bom! Dia?

- Bom. Dia.

O sinal de pedestres abriu e quem chegou à minha frente com sua prancha de surfe debaixo do braço foi um crocodilo laranja, óculos de sol e nívea no rosto.

4 comentários:

Ester disse...

Seus textos são interessantes. Meio malucos, mas o que é normal diante da bizarrice de existir, não é?
Voltarei mais vezes.

grzl disse...

quando publicares todos esses textos avisa, vou ser a primeira a comprar o livro.
um abraço
graziela

marta disse...

como sempre,estas em "alta"!:)
adoro os teus textos,e esse crocodilo teve sorte de se cruzar contigo por ai;)
:)abraço,
marta.
"Seus textos são interessantes. Meio malucos, mas o que é normal diante da bizarrice de existir, não é?",gostei desse comentario!

A. Diniz disse...

Veiga! Eu já disse para não cheirar Veja Multiuso antes de escrever na internet! Já pro seu quarto!