20.11.07

Maldita plaquetinha amarela

Nela escrito: NÃO HÁ VAGAS. Em letras garrafais. Em caixa alta. Em decepção plena. Na testa das pessoas que podem dizer sim e não.

A vida é isso. Covardes conversam, corajosos silenciam. Dores em todo o corpo antecipam o Natal. O que sobra é a tabuleta, a maldita plaquetinha amarela. NÃO HÁ VAGAS. Nem para o pensamento, nem para as origens, nem para a criação. Só angústia, problemas e soluços.

Um comentário:

giovanna longo disse...

adoro jornalismo investigativo....rs
eu te falei do blog, sim! vc que não se lembra. comentei contigo pelo msn e disse que ainda estava montando, por isso não quis passar o endereço. agora, você me descobriu!
aliás, você viu que não me esqueci de ti, né? reparou nisso?