8.12.05

Churrasco de Natal

Noto que no Natal, Neto duvida dos dedos de Deus digitando a vida e dedica a ele uma ode invertida pelo avesso das bolas das árvores da noite enfeitada:

“Papai Noel, em tempos de Ibama e essa ladainha de direitos humanos dos animais, aposentou compulsoriamente as renas. Agora andeja pelos telhados, uns quebrados e todos em mau estado. Entre tropeços, garimpa orifícios de onde a fumacinha anuncia chaminés.

Jamais espia. Corre contra o tempo porque seu sonho é terminar o trabalho logo, para um dia passar o Natal com a família.

Quase escorrega:

- Malditas telhas! – coça a barba branca, que já faz tempo não é postiça.

Entra.

De saco cheio, descobre na prática que no Brasil não há lareiras. Só braseiros onde a carne arde. Ai!”

Um comentário:

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Excelente!


Abraços natalinos...