3.11.05

Apenas um suspiro sem explicação nem vontade

Trafegar era aquele exercício de ninguém mais. Da montanha ao céu, do céu ao abismo, do abismo à morte.

Caudalosa, ficava imaginando quedas e pensando um dia se tornar cachoeira. A vida não é pra sempre e as quimeras também morrem derretidas.

2 comentários:

daisy melo disse...

Lindo... como sempre!

parabéns!
beijos

day

Beatriz Galvão disse...

As quimeras morrem derretidas?
Amém.
Espero...
Te beijo!