6.10.07

Declaração aos que amputaram minha vida

Declaro, para devidos e indevidos fins, a quem interessar possa, que este documento não tem nenhum fim institucional nem oficial; que não será lavrado em ata, muito menos registrado em cartório; que não se justificará perante a Lei ou um tribunal qualquer; que não possui data de validade, expiração ou apodrecimento; que não deve ser lido jamais em voz alta, principalmente por gagos, afônicos e analfabetos; que não foi escrito para extirpar as dores ulteriores, uma vez que essas impossivelmente chegarão ao fim.

Este documento visa tão somente a queimar as idéias antes que elas nasçam. Porque uma vez natimortas, deixarão de assombrar a inquietude humana. Antes, o desejo era embriagar-me de tédio, mas a tempo descobri que o tédio é incapaz de tal feito.

Assim sendo, declaro que, a partir desta data, jamais me importunarei com os sentimentos alheios, as músicas de que não gosto, os poemas mal escritos; viverei o dia como se fosse apenas um dia, numa ignorância plena do ontem e do amanhã; rirei à toa de todas as desgraças a que fui acometido, justa ou injustamente, mesmo porque não farei mais juízos; escreverei à vontade, emudecerei quando quiser, dormirei o bastante. Outrossim, reservo-me ao direito de permanecer intacto, inepto e insignificante, para o gozo pleno de minhas funções humanas.

Publique-se.

3 comentários:

naty =) disse...

adorei seu ultimo post..seu blog esta otimooooo
parabens

- Cah. disse...

não sei se entendi a finalidade do post...
mas parece libertador (:
bem elaborado.
flw

Manny disse...

ulteriores...
que chique!