6.7.07

Por que toda vez um não vou tem de ter porquê?

Um estrabismo social que nos acomete exige teletransporta pelo avesso. Tenho vontade de vomitar pesadelos na cara de quem inventou regras convenções etiquetas e afins. Sono é motivo. Sonho é motivo. Mas tudo o que eu quero é desmotivar a vida sem etcéteras e perdições. Hoje só amanhã.

3 comentários:

Giovanna Longo disse...

Ah, para essa pergunta eu sei a resposta!!
Por que um não vou define nossas intenções sobre aquele assunto, aquele lugar, aquela pessoa?
Um não vou pode simplesmente significar não posso ir agora, e também não quer dizer, não quero ir.

Giovanna Zanatta disse...

HAhahaha, eu adorei essa, Edison! Também acho que sonho é motivo e outras coisas assim. Seria muito mais simples se a gente pudesse dizer apenas "não vou" e os outros darem-se por satisfeito com essa resposta. Eu adoraria falar somente que não vou, mas não gosto quando alguém diz só isso pra mim. É assim mesmo...
Ps: Quando eu li esse textinho, falei para o Henrique que era a cara dele. Esses dias eu falei pra ele assim: "Henrique, vem pra cá!". E ele respondeu somente: "não dá". Só isso, sem maiores explicações. Pode uma coisa dessas ou vocês dois andaram combinando de instituir a regra das não-explicações???? hehehe.
Beijos

Debora disse...

Sono é motivo.
Sonho também.
E sacrifícios são bem-vindos.
bjos