2.11.09

QUATRO DE SETEMBRO

A véspera ardida de tantas vivências colecionáveis. O verso que jamais será escrito. A derradeira canção brasileira. A peça escura na noite mais escura ainda. São Paulo é o mundo todo, e isto estufa de sobremaneira a minha cabeça.

Um comentário:

Gi disse...

Parabéns pelo livro, Edison... gostaria de comprá-lo, mas tô sem grana! Abraço