11.7.08

Anotações mentais de uma manhã solitária

A vida na tela de um computador. A janela, um papel de parede. A parede, uma janela. A vida que era para ter sido e que não foi. Letrinhas digitadas, nenhum rabisco. O alfabeto no Word. A confusão no mundo. A vida na tela de um computador. Meu computador. Cada vez menos meu, cada vez mais portátil.

Na tela de um computador, a vida. Cada vez mais portátil, cada vez menos minha.

Um comentário:

Jules disse...

Eu também já estou com saudades, amigo. Prometo te escrever sempre.