9.9.05

PoemAmante

Na cadência estúpida da vida,
Transparece nítida a dádiva
de te amar a cada dia
sem dúvida
nem nada.

Rasgo a camisa
E, por dentro, no peito
onde a brisa bate,
É meu coração quem diz:
- Te amo! Te amo! Te amo!

Adiante: a dívida do viver-junto
A ser cobrada no dia-a-dia
e na noite-a-noite.
Adentro: o adeus da saudade,
a simbiose onomatopaica do orgasmo,
a cidade que se apaga
aos teus olhos que se me apegam.
A dança adianta os passos
na cadência estúpida da vida
onde a única dádiva é o amar-te.

3 comentários:

Anônimo disse...

vc não imagina como é especial. te amo muito

Ju* disse...

Ai... o amor!!!
Adoro vcs dois!!

marta disse...

(estas apaixonado!?)
adorei este post,os teus textos seduzem me sempre,agradam me,chego mesmo a tentar "agarra los" com as maos,:)adorei,
sobretudo esta parte
"Adiante: a dívida do viver-junto
A ser cobrada no dia-a-dia
e na noite-a-noite."
:)
beijo
tudo de bom!
marta.